ÓPTICO

O Técnico Óptico é o responsável técnico por estabelecimentos de óptica, centro de adaptações de lentes de contato e laboratórios. Profissional responsável pela exatidão da prescrição óptica, da fabricação, da distribuição e da comercialização das lentes ópticas e de contato.

O Técnico Óptico atual é uma somatória de anos de experiências, aprendizado e conhecimentos científicos. É responsável técnico, não manipula matéria prima nos laboratórios ou montam óculos, substituídos por equipamentos computadorizados de primeira geração. Porém, são responsáveis pela produção e exatidão.

Responsabilidades

Assumem postura de frente nos estabelecimentos dos quais são responsáveis técnicos, para um atendimento de qualidade ao cliente, desenvolvendo competências que lhe permite atuar como Consultor Técnico, intermediando a comercialização de produtos ópticos, considerando os avanços tecnológicos, aplicando conceitos técnicos, estéticos e de moda na interpretação da prescrição, analisando e adequando produtos conforme costumes comportamentais, e necessidade profissional, quanto à compensação óptica e proteção ocular, visando à promoção da saúde visual, e o melhor conforto diário.

História do Óptico Prático

Profissionais “Óticos Práticos” surgem no Brasil anterior à 1900 ou, no mesmo momento do 1° óculos no Brasil. Sem formação, aprenderam o ofício na prática, época em que as profissões passavam de pai para filho, limitados à confecção de lentes e montagem artesanal de óculos por falta de cursos profissionalizantes.

Porém, o governo federal na intenção de melhorar a qualidade do atendimento à população, exigiu nível de formação técnico, para todos os profissionais da saúde dentre eles; enfermeiros, farmacêuticos, ópticos, parteiras e optometristas, promulga o Decreto Federal n° 20.931 de 1932, exigindo formação e habilitação para o exercício das atividades relacionadas à saúde. Na inexistência de cursos para o Óptico Prático, este, deveria passar por uma banca examinadora, constituída de médicos, certificando-os para a função.

Não bastara a exigência de qualificação do Óptico Prático, As casas de óptica, continuavam oferecendo “exames de vista”, Foi necessário criar regras para as casas de óptica, tendo como base, o único profissional existente da época, que eram os “Práticos”. Surge o Decreto 24.492 de 1934, passando a tutela “técnica” das casas de óptica, para o Óptico Prático, atuando como Responsável Técnico (RT), e, a responsabilidade jurídica ao proprietário.

Suas atribuições limitavam-se; na usinagem da matéria prima (cristal) em lentes graduadas, e na montagem da lente na armação, sendo de sua responsabilidade; a exatidão e confecção dos óculos.

O decreto de 1934, proíbe médicos e suas esposas de qualquer ligação comercial com estabelecimentos de óptica.

Atualmente o “Ótico Prático” não existe. Mais bem preparado em cálculos e desenho geométrico, também muda a denominação para – Óptico Oftálmico – responsável técnico por; Atacados, Laboratórios Ópticos e estabelecimentos de óptica, não podendo adaptar lentes de contato, atividade do – Técnico Óptico. Fonte: SENAC – Tiradentes. Por volta de 1940, surgem as lentes de contato adaptadas por – Práticos em Lentes de Contato. Como qualquer outro ofício ou trabalho, começa de forma empírica, a formação Técnico-teórica se fará mais adiante.

As Ópticas Fluminense na cidade do Rio de Janeiro importavam as lentes de contato, ainda de vidro, do fabricante ZEISS da Alemanha. Adaptavam em seus clientes e distribuíam para outras ópticas no Brasil. Somente após 1947 as lentes passaram a ser fabricadas com o material PMMA (Polimetilmetacrilato). Nesta época então inegavelmente já existia a profissão de Contatólogo.

Em 1958, o Departamento Nacional de Saúde, estabelece normas para o exercício de Contatólogo em todo território nacional para a profissão de Prático em Lentes de Contato pela Portaria 86 de 1958. É o reconhecimento que já existia a profissão de fato, passando assim a existir de Direito.
Mais tarde, o Parecer 404 de 1973 do Conselho Federal de Educação, respaldado pela portaria 86/1958 inclui no Currículo do Curso Técnico em Óptica a disciplina CONTATOLOGIA.

Surge assim, depois de anos de – prática e conhecimentos – uma nova figura de profissional, cuja formação obedece as novas exigências, com escolaridade própria, prevista no parecer n° 451721CFE e seus anexos: a do TÉCNICO ÓPTICO.

O Técnico Óptico atual é uma somatória de anos de experiências, aprendizado e conhecimentos científicos para um atendimento seguro e de qualidade aos clientes/pacientes. Este profissional dada a sua qualificação, não mais se confunde, com a figura do “Óptico Prático” prevista no Decreto de 20.931 de 1932. Época em que não se pensava em viagens à lua ou, na simples existência do celular.

O Óptico, inventor das lentes de contato, tem sua 1° legislação como “Prático em Lentes de Contato” previsto pela Portaria 86 de 1958 do Departamento Nacional de Saúde.

Óptico Optometrista

A Optometria é uma ciência já disponível em nosso país através do trabalho dos Ópticos-optometristas, descrita na Classificação Brasileira de Ocupações editada pelo Ministério do Trabalho, pertencente a família ocupacional N° 3223-05.

Atualmente o Brasil possui diversos centros de formação técnica e acadêmica, mas o seu trabalho ainda é pouco conhecido pela sociedade. Para o pleno exercício profissional, o optometrista deve possuir diploma registrado no Sistema Nacional de Ensino, como qualquer outro diploma, possuindo validade nacional incontestável.

Os benefícios proporcionados pela Optometria têm sido pouco divulgados e adotados pelas autoridades de saúde no Brasil, principalmente devido à desinformação sobre o assunto.

Nosso país enfrenta uma grave situação na área de saúde, principalmente da saúde visual, pois 56% de sua população possui dificuldades para enxergar devido a alterações visuais de causas ópticas (erros refrativos) compensados com lentes, e não patológicas (doenças do órgão globo ocular) competência da medicina.

As crianças que não enxergam bem têm um rendimento escolar medíocre, com elevados níveis de repetência, os quais acabam por desestimular a continuidade de seus estudos. Milhões de adultos têm sua produtividade reduzida ou até interrompida, e os idosos detêm uma queda brusca na qualidade de vida, pela falta de uso de um simples par de óculos.

A nação brasileira perde muito dinheiro e talento por questões relacionadas à visão.
Esse problema pode ser resolvido de forma rápida e acessível, através da Optometria. Basta uma pequena mudança no modelo de saúde visual adotado pelo Governo.

Este, visa expor com maior clareza o que vem a ser a Optometria, e qual a sua importância na vida dos brasileiros.